Agendar Doação Sangue

Área do Médico

Portal do Colaborador

Doaçao de órgaos: mitos e verdades

 

No dia 27 de setembro é celebrado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos. O principal objetivo da data é a conscientização sobre a importância de ser doador de órgãos e assim ajudar a salvar vidas. Para esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto, entrevistamos a enfermeira Beatriz Rivieri Colodette, coordenadora da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT), da Santa Casa de Misericórdia Cachoeiro.

1 – O que é morte encefálica e quais os órgãos pode ser doado?

A morte encefálica é a completa e irreversível parada de todas as funções do cérebro. De acordo com o Ministério da Saúde, os órgãos que podem ser transplantados são o coração, o fígado, o pâncreas, os rins e os pulmões. Tecidos e células, como córneas, válvulas do coração, ossos, pele, sangue, medula óssea e cartilagens também podem ser doados.

2 – Como funciona a lista de espera para um órgão? É possível escolher para quem vai o órgão captado?

Não. Existe uma fila de espera onde há uma central responsável, que irá avaliar as condições e compatibilidade do doador e receptor.

3 – Após a retirada do órgão o corpo fica deformado?

 Não, ficará com uma incisão cirúrgica como qualquer outra cirurgia.

4 – Apesar das campanhas de conscientização, por que a recusa nas doações ainda é grande?

Por desconhecer o desejo do doador e tempo de espera, pois é um processo longo da abertura do protocolo, consentimento familiar, para assim disponibilizar uma equipe para vir captar, em alguns casos, a equipe é até de outro estado. Então demora um pouco e não podemos estimar um tempo, por isso muitos não desejam prolongar o sofrimento.

5 – Como está a lista de espera hoje?

Atualmente a lista é a seguinte: Coração: 04 Pacientes, Fígado: 37 Pacientes, Córnea: 80 Pacientes. Rins: 819 Pacientes

6 – Um doador pode beneficiar até quantas pessoas?

Dependendo do caso ele pode salvar até 10 vidas.

7 – O que precisa para ser um doador de órgãos?

É muito importante todos saberem que a vontade de doar não fica escrita em documentos, como carteira de motorista. Na verdade, quem quer ser um doador deve deixar o desejo explícito para sua família. Afinal, eles são os únicos que podem autorizar a retirada dos órgãos. O transplante pode salvar vidas, no caso de órgãos vitais como o coração, ou devolver a qualidade de vida, quando o órgão transplantado não é vital, como os rins. A doação de órgãos não deforma o corpo. 

 

 

 

Enfermeira Beatriz Rivieri Colodette, coordenadora da CIHDOTT

 

Confira mais Notícias

Junho Vermelho: Empresa mobiliza funcionários para doar sangue na Santa Casa

Exposição e panfletagem marcam Maio Amarelo na Santa Casa 

Santa Casa ganha R$ 10 mil com Nota Premiada. Saiba como você também pode ajudar

Santa Casa Cachoeiro e Lar de Idosos farão homenagens no Dia das Mães

Paciente internado se emociona ao receber serenata na Santa Casa

Santa Casa Cachoeiro inicia obra para ampliar número de leitos no Pronto Socorro 

Funcionários da Santa Casa são imunizados contra a gripe

Santa Casa Cachoeiro faz blitz educativa e bate-papo para evitar acidentes de trabalho